Cadastrar imóvel imobiliária

Informativo

Edifícios ganham etiqueta de qualidade

A Eletrobrás e o Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro) lançaram ontem a Etiqueta de Eficiência Energética em Edificações para edifícios.

Com o selo, o mercado consumidor será capaz de identificar os prédios que apresentam baixo consumo e maior aproveitamento de energia elétrica.

O etiqueta será implantada de forma gradual e voluntária, mas a intenção é torná-la obrigatória no futuro. Em um primeiro momento, o programa de etiquetagem irá atingir apenas edifícios comerciais e de serviços e públicos.

Já os prédios e empreendimentos residenciais devem poder contar com o selo a partir do ano que vem (2010). “Além do benefício ambiental, o objetivo do programa de etiquetagem é permitir que o consumidor tenha todas as informações sobre o consumo de empreendimento para tomar a melhor decisão na hora de escolher o imóvel - seja apartamento, casa, ou escritório”, diz o presidente do Inmetro, João Jornada.

ALTO CONSUMO - As edificações dos setores residencial, comercial e públicas são responsáveis por aproximadamente 45% do consumo de energia elétrica no Brasil.

Segundo a Eletrobrás, a economia de eletricidade conseguida por meio da arquitetura bioclimática pode chegar a 30% em edificações já existentes (caso passem por readequação e modernização) e a 50% em prédios novos, que contemplem essas tecnologias desde o projeto. “É um projeto ambicioso, mas importante dentro do esquema energético do Brasil”, diz o presidente da Eletrobrás, José Antonio Muniz.

Uma das intenções é incentivar o aproveitamento de energias alternativas (como energia solar) e das chamadas “energias passivas”, com iluminação e ventilação naturais.

A etiqueta faz parte do Programa Brasileiro de Etiquetagem (parceria da Eletrobrás e do Inmetro) e segue o modelo da conhecida etiqueta Procel para eletrodomésticos. “É um programa de mais de 15 anos. Ao lançar esta etiqueta, o Brasil se coloca entre os países mais avançados do mundo”, afirma o presidente da Eletrobrás.

Para receber a etiqueta, as edificações são avaliadas em três níveis de eficiência: envoltória (parte externa do edifício), sistema de iluminação e sistema de condicionamento de ar. Em cada um dos níveis, os prédios são classificados de “A” a “E”, sendo A o nível de maior eficiência energética. “A diferença de consumo entre a classificação “A” e “E” pode representar economia de até 40%”, completa Alfredo Lobo, diretor de qualidade do Inmetro.

 
Veja outras matérias



 
 
 
     
Area do cliente  
Extrato de contas, segunda via de boletos
   
Newsletter  
 
  • 31 3891-4547
  • 31 9 7545-4456
  • 31 9 8568-7166
  • 31 9 8872-7908
  • P.F. 10401
  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
    Mundo Mídia "Soluções Criativas"