Cadastrar imóvel imobiliária

Informativo

Verão? Só com ar-condicionado
Escolher o equipamento certo e tomar cuidado na hora da instalação fazem a maior diferença. É preciso observar o tamanho da área, a incidência de sol e o número de pessoas que ficam no ambiente

Luciana Ackermann |
Fonte: O Globo

Rio de Janeiro - É, praticamente, impossível agüentar as altas temperaturas do verão sem ajuda de um aparelho de ar-condicionado. Se a idéia é investir num refrigerador, saiba que não basta apenas escolher um modelo bacana. É indispensável tomar alguns cuidados antes da compra. Entre eles, observar o tamanho do ambiente, o número de pessoas que usa, constantemente, o espaço, e os períodos de incidência do sol para calcular a potência necessária. Confira aqui alguns projetos de decoração onde o equipamento foi integrado à decoração ou camuflado.

Eduardo Müller, presidente da Associação Sul Brasileira de Refrigeração, Ar-condicionado, Aquecimento e Ventilação (Asbrav), explica que para facilitar a escolha do equipamento é importante ter como parâmetro a regra básica de que para cada 20 metros quadrados são necessários 12 mil BTUs para refrigerar a área. Porém, ele alerta que se bater o sol da tarde e houver janelas de vidro, vale a pena investir em uma potência maior algo como 18 mil BTUs. Já o índice médio para cada pessoa é em torno de 500 BTUs.

"O equipamento com BTU, unidade de medição da carga térmica, insuficiente ficará sempre ligado para manter o ambiente refrigerado, o que forçará o motor e também aumentará a conta de luz. Se funcionasse, normalmente, passaria para ventilação ao atingir a temperatura confortável de 24 graus", afirma o presidente.

Em geral, segundo Müller, o ar-condicionado tem capacidade de abaixar cerca de 10 graus em relação ao ambiente externo e vida útil dele é de, em média, 15 anos.

O engenheiro Oswaldo Bueno, consultor da Associação Brasileira de Refrigeração, Ar -condicionado, Ventilação e Aquecimento (Abrava), destaca que o consumidor deve ler com atenção o selo Procel, onde é possível se ter uma base de quanto o equipamento irá gerar de gastos na conta de luz. Os aparelhos antigos costumam gastar bem mais energia.

"Pode parecer estranho, mas há famílias que se empolgam na hora da compra e não avaliam os custos que terão no dia-a-dia com o ar-condicionado. Já vi um casal e três filhos dormirem todos juntos num quarto porque não era possível arcar com as despesas dos equipamentos nos demais quartos", relata Bueno.
Outra recomendação do consultor é a de se contabilizar os custos da instalação porque um serviço mal-feito pode danificar ou comprometer a eficiência do produto. Bueno ressalta que os fabricantes disponibilizam uma lista de profissionais credenciados para a instalação. Ao contratar um profissional que não seja cadastrado, o consumidor perde a garantia de um ano. Ele também destaca que é bom conversar com outras pessoas que tenham o equipamento e perceber o nível de ruído de cada modelo, sendo que o split é silencioso.

Deve-se considerar ainda o espaço necessário para a instalação. Nos tipos split as unidades exteriores são maiores e mais pesadas que as unidades de parede ou janelas.

 
Veja outras matérias



 
 
 
     
Area do cliente  
Extrato de contas, segunda via de boletos
   
Newsletter  
 
  • 31 3891-4547
  • 31 9 7545-4456
  • 31 9 8568-7166
  • 31 9 8872-7908
  • P.F. 10401
  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
    Mundo Mídia "Soluções Criativas"